Dicas da Vovó: Feira livre

Minha Vó foi criada plantando, colhendo, criando animais; descendente indígena sabia da importância de uma alimentação saudável.

Morando em São Paulo, minha avó sempre teve horta, plantas, árvore em frente a sua casa; era um lugar gostoso de estar, sempre fresquinho. Porém morando em São Paulo já não tinha acesso a terra para plantar tudo que necessitava, então tinha que comprar os mantimentos na feira livre, na época não havia mercados, supermercados em nosso bairro. Tudo comprávamos na feira livre.

E você acha que vovó ia comprando assim de qualquer forma? Não, comprar é uma arte, até mesmo porque precisava comprar muito e gastar pouco.

Hoje nossa dica é sobre feira livre e a arte de comprar:

1 – observe o melhor horário para comprar – levando em conta a qualidade do produto e o preço;

2 – Nunca saia comprando, dê uma volta na feira inteira observando os preços, você vai se surpreender como o mesmo produto têm preços diferentes;

3 – Saiba escolher os produtos e a quantidade que você vai precisar para evitar desperdício;

4 – Leve sua sacola, assim você evita todos aqueles saquinhos plásticos que demoram anos para se decompor;

5 – Pechinche sempre na feira e em qualquer lugar que for comprar, pechinchar é uma arte;

6 – Quando chegar em casa não saia lavando tudo, primeiro deixe os alimentos descansando ( esfriando como dizia minha avó), depois higienize e guarde.

7 – Lembre-se o seu dinheiro é o custo de horas de trabalho – valorize e saiba gastar!

É possível cuidar da sua saúde e da sua família com sabedoria e economia, sabendo usar não vai faltar!

A Vovó é que sabia das coisas! Boa feira livre para todos!

Jaqueline Santos

Anúncios

Dicas da Vovó: Organização facilita sua vida!

Hoje é moda falar em organização: de casa, do trabalho, da vida; tudo tem receita pronta é só acessar a internet e ver as inúmeras sugestões. Vovó sempre foi organizada, tudo tinha seu lugar e quem tirasse teria que devolver . Na casa da vovó tudo era organizado e isso aprendemos desde pequeno.

A Vovó já sabia que organização era essencial para quem quer achar algo e manter-se tranquilo, parece que dá trabalho, mas não dá e você se sente bem. A organização reflete um pouco de você e facilita sua vida. E isso só nos damos conta quando precisamos de algo que sabemos que guardamos, mas não lembramos onde foi parar. A alternativa de que o objeto que você procura saiu por ai, não é real, o que provavelmente aconteceu foi que ao tirarmos de um lugar guardamos em um lugar qualquer e por isso quando precisamos não fazemos a menor ideia de onde está.

Vovó já tinha as famosas caixinhas para guardar tudo e quando alguém precisava ela sabia onde estava, documentos, comprovantes, fotos, lembranças, contas pagas , etc. Eu pensava nossa que trabalheira, hoje reconheço que a Vovó é que tinha razão. Quando amadurecemos reconhecemos que precisamos de organização, ou ficaremos sempre doidas atrás de algo.

Organização era com a Vovó, acho que todas as vovós e bisavós já nasceram Personal Organizer, porque tudo que ouço hoje a vovó já fazia. Por isso se você tem uma Vovó, bisavó ou mamãe na sua vida, preste atenção a tudo que elas ensinam, você vai precisar disto tudo um dia.

Não sei para você, mas para mim quando procuro algo e sei exatamente onde está é uma grande satisfação, por isso organizar para mim faz bem. Se para você também é uma alegria, mas só de pensar você já se sente desanimada, vá arrumando aos poucos. Faça por categorias – livros – roupas -bijuterias ou por cômodos – quarto, cozinha, banheiro. Procure colocar os objetos no mesmo lugar, exemplo todos os livros em uma estante ou em um armário, assim quando precisar você saberá onde está. O essencial da organização é quando tirar o objeto do lugar devolva-o ao seu lugar de novo, senão a bagunça volta. Separe um tempo relógio para a organização e respeite esse tempo, isso vai fazer com que você fique animada para concluir a tarefa. Cada um tem o seu jeito e sua forma de organizar, por isso encontre a sua.

Comece o ano organizando sua casa, casa local onde você mora e sua casa interior e faça de 2019 um ano especial a cada dia vivido.

A mãe de uma grande amiga (Diana de Ubatuba) tem um ditado que eu adoro e sempre penso nele – ” O que está feito não está por fazer”. Pense nisto!

Beijos!

Jaqueline Santos

Dicas da Vovó: Ano Novo – a mudança depende de você!

Ano novo na casa da Vovó era diversão na certa! Era dia de beliscar muitas coisas gostosas esperando a virada do ano e com a virada um banho de sidra fornecido pela vovó, era esta sua diversão, sair correndo atrás da gente só para rir muito junto conosco, pois nos escondíamos sem sucesso.

Casa aberta, conversa na rua com os vizinhos, música na vitrola, mas um olho sempre atento para ver a contagem na televisão, contando alto para podermos nos abraçar , colocar as mãos nos ouvidos para tantos fogos e tentar escapar da rolha da sidra e da vovó; na época chamávamos de champanhe.

Não importava a roupa, nem o lugar porque o melhor nós tínhamos, a alegria de estarmos todos juntos. É claro que nada é perfeito e se existiram contratempos a memória não os deteve junto a mim, só a alegria ficou e o amor traduzido em gestos e lembranças.

A dica da Vovó para esta passagem de ano é deixe de fazer tantos planos e comece a realizar o que é preciso e necessário para ser feliz, lembrando que o que nos faz feliz no final está mais ligado as pessoas e sentimentos do que a posse de bens. Ser feliz é uma decisão, então escolha ser feliz e todas as coisas parecerão mais fáceis de se lidar.

Feliz 2019!

Jaqueline Santos